Como detectar os primeiros sinais e ajudar seu cão

Ter um cachorro traz uma alegria imensurável em nossas vidas, mas também traz dores no coração. E uma delas é o fato de que à medida que nossos amigos peludos envelhecem, eles se tornam mais propensos a problemas de saúde.

E assim como homens, os cães apresentam algo semelhante à demência ou à doença de Alzheimer. E isso é comumente referido como demência canina, mas também é chamado de Disfunção Cognitiva Canina (CCD).

Tal como nós, à medida que os cães envelhecem, os seus cérebros envelhecem e o seu comportamento muda. E os cães mais velhos que desenvolvem esta síndrome tornam-se mais distraídos e desorientados.

Please enable JavaScript in your browser to complete this form.

Neste artigo, vamos nos aprofundar na demência canina, como e quando ela se desenvolve, quais são os sinais e sintomas, como tratá-la e, claro, como cuidar de um cachorro com ela.


O que é demência canina?

A demência canina, também conhecida como Disfunção Cognitiva Canina (CCD), é um distúrbio cognitivo encontrado mais comumente em cães idosos. É quando o cérebro de um cão envelhece, o que leva a uma mudança no seu comportamento e afeta a sua capacidade de aprendizagem, memória e compreensão.

Causa sintomas semelhantes aos da demência ou Alzheimer em humanos, daí o nome. Além disso, os sinais clínicos do CCD são encontrados em quase um em cada três cães com mais de 11 anos de idade. E quando os cães atingem a idade de 16 anos, quase todos eles apresentarão pelo menos um sinal desta síndrome.

Como os cães desenvolvem demência?

A demência canina se desenvolve naturalmente como consequência do processo de envelhecimento do cão. À medida que um cão envelhece, as células cerebrais começam a deteriorar-se. E quando essas células param lentamente de funcionar como deveriam, isso afeta as habilidades cognitivas gerais do cão.

No entanto, os cães também podem desenvolver demência devido a outros fatores. A genética e outras condições médicas, como tumores cerebrais ou derrame, podem afetar o aparecimento da demência canina.

Quando a demência começa a acontecer em cães?

Normalmente, a demência em cães começa a se desenvolver por volta dos sete ou oito anos de idade. Na verdade, o aparecimento da demência ocorre em 35% dos cães com mais de oito anos. No entanto, é mais comum em cães idosos com mais de nove ou 10 anos.

Mas cada cachorro é único. E, como mencionado acima, a demência canina pode se desenvolver devido a outros fatores além do processo de envelhecimento do cão.

Sinais e sintomas de demência canina

Os sinais e sintomas de demência em cães podem variar de leves a graves. Os sintomas iniciais são leves, mas pioram gradualmente à medida que a doença progride ao longo do tempo.

Abaixo estão os sintomas mais comuns de demência em cães:

  • Desorientação e confusão
  • Não lembrar de lugares familiares, rostos (como outras pessoas e animais de estimação) e comandos
  • Ansiedade
  • Irritabilidade extrema
  • Perda de apetite
  • Vagando ou andando sem rumo
  • Olhando fixamente para as paredes ou para o nada
  • Diminuição da vontade de jogar
  • Parecendo desrespeito por treinamento e regras aprendidas anteriormente
  • Lento para aprender novas tarefas
  • Falta de auto-cuidado
  • Sujeira da casa
  • Problemas de sono, como caminhada noturna, vocalização e ritmo

Quanto mais cedo você detectar o início da demência canina, melhor. Portanto, como dono de um cão idoso, é importante conhecer e ser capaz de identificar esses sintomas comuns em seu cão para uma intervenção precoce.

Tratamento da demência canina

Não existe cura permanente para a demência canina. No entanto, estão disponíveis tratamentos para retardar a progressão da síndrome e aliviar seus sintomas.

O tratamento da disfunção cognitiva canina requer medicamentos, muito apoio e terapia para promover a função cerebral do seu cão e, potencialmente, retardar o declínio cognitivo.

As opções de tratamento para demência canina incluem:

  1. Medicamentos e suplementos: Existem medicamentos e suplementos que podem ajudar a retardar a progressão da demência em cães. Esses medicamentos dependerão dos sintomas do seu cão. Portanto, não deixe de conversar com o veterinário do seu cão para saber as melhores opções para ele.
  2. Mudanças na dieta: É quando você muda a dieta do seu cão idoso para algo que contenha antioxidantes, ácidos graxos ômega-3, vitaminas B, E e C. No entanto, observe que isso deve ser feito com a orientação do veterinário do seu cão.
  3. Enriquecimento de vida: Isso inclui desenvolver e seguir uma rotina, fornecer exercícios físicos adequados e estimulação mental para seu cão.
  4. Terapia comportamental: Como os cães que sofrem de disfunção cognitiva experimentam uma mudança de comportamento, a terapia pode ser benéfica para eles. Pode ajudar a aliviar a ansiedade e aliviar as mudanças comportamentais.

O tratamento da demência canina depende muito dos sintomas do seu cão. E claro, antes mesmo de começar o tratamento, é obrigatória uma consulta completa com o veterinário do seu cão!

Como cuidar de um cachorro com demência

Embora possa não prevenir completamente a demência, existem várias maneiras de cuidar de um cão com demência, física e mentalmente, para mantê-lo saudável.

Aqui estão algumas coisas que você pode fazer para cuidar e apoiar um cão que sofre de disfunção cognitiva:

  1. Levante luzes noturnas em casa para ajudar seu cão idoso a navegar melhor no escuro.
  2. Adicionar almofadas para penico perto de portas para que seu cão possa fazer uso do banheiro, especialmente quando você não fica em casa por longos períodos de tempo.
  3. Opte por um cama ortopédica para cachorro para melhor qualidade do sono e para aliviar qualquer tipo de desconforto.
  4. Quando fazer mudanças em sua rotinacertifique-se de fazer isso gradualmente.
  5. Evite qualquer mudanças que podem causar ansiedade ou estresse. Coisas como reorganizar os móveis e apresentar lugares, pessoas, animais de estimação novos e desconhecidos, etc.
  6. Deixe sua casa à prova de demência. Pense nisso como se você estivesse protegendo sua casa para bebês. À medida que a demência progride, um cão que costumava ser bem treinado pode esquecer tudo isso e pode não ter o mesmo nível de contenção e paciência. Eles podem ficar tentados a comer sobras, então certifique-se de manter a comida em recipientes à prova de cães e de que o lixo esteja fora de seu alcance.
  7. Fornecer muito amor, paciência e apoio. Cuidar de um cão com demência é uma jornada emocional, tanto para o dono quanto para o cão. Pode ser frustrante e cansativo, principalmente quando eles vão esquecendo gradativamente o treinamento e passam por mudanças comportamentais. Mas lembre-se, essas mudanças são tão frustrantes para eles quanto para você. Portanto, dar-lhes muito amor, paciência e apoio irá ajudá-los a lidar melhor com a situação.
  8. Monitore sua saúde geral e cronograma exames veterinários regulares. Como um cão idoso é mais suscetível a problemas de saúde, é melhor monitorar sua saúde e agendar exames veterinários para garantir sua saúde geral e verificar se há outros problemas.

Conclusão

E cuidar de um cachorro com demência é uma jornada, tanto física quanto mentalmente. Desde fazer pequenas mudanças em casa para melhor atendê-los, até fornecer coisas para mantê-los calmos e felizes, há muitas maneiras de mostrar ao seu cão o quanto você o ama e cuida dele, apesar da idade e da condição.

Mas, estando ao lado do seu querido cãozinho, proporcionando-lhe o apoio, a paciência e a compaixão de que precisam, lidar com a demência canina pode ser menos desafiador.

+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0

Leave a Comment